quarta-feira, 26 de Novembro de 2008

Métodos Contraceptivos Tecnológicos Químicos Hormonais

Os métodos contraceptivos tecnológicos químicos hormonais são sobretudo as pílulas, embora existam outros. As pílulas são fármacos compostos por hormonas semelhantes às hormonas produzidas pelo organismo feminino com o propósito de impedir a ovulação.
São administradas por via oral, sob a forma de comprimidos, tendo de ser recomendadas pelo médico. Nunca se deve utilizar uma pílula sem receita do médico e apenas por serem recomendadas e usadas por uma amiga; pois as pílulas variam de mulher para mulher.
Quando tomada sob indicação médica, tem uma eficácia de 100%. No entanto, a sua eficácia diminui se não for tomada correctamente ou se se sucederem vómitos ou diarreia nas horas seguintes à sua ingestão. Esta eficácia pode ser também reduzida com a combinação com outros medicamentos e antibióticos.
Como o organismo da mulher não está preparado para evitar a menstruação (à excepção do caso de uma gravidez), para este suportar deve-se interromper às vezes o tratamento, conforme o médico disser.
A pílula do dia seguinte é uma contracepção de emergência, não um método contraceptivo pois é um recurso no caso de ter ocorrido uma prática sexual desprotegida durante o período fértil. A ingestão da pílula do dia seguinte deve ser tomada o mais cedo possível num prazo máximo de 72 horas depois da relação sexual.
É uma pílula constituída por uma dose elevada de hormonas e, por isso, não se deve recorrer com frequência pois além de perder eficácia pode dar origem a efeitos nefastos para o organismo.
Outros métodos hormonais (mais recentes) com a mesma eficácia da pílula e semelhante método de actuação (pela injecção de hormonas no organismo feminino) são:
  • os adesivos - usados colados ao corpo (ancas, coxas, ventre) e que passam as hormonas pela pele para o sangue.
  • os implantes - fragmentos de hormonas implantados no interior do organismo (geralmente no braço debaixo da pele).
  • os anéis intravaginais - aros colocados na vagina e que vão libertando hormonas para regular o ciclo menstrual, aliás como os adesivos e os implantes.
  • hormonas injectáveis

Sem comentários: